Oficinas

COMENTÁRIOS DOS PARTICIPANTES DO PROJETO CONTANTES

 

CAMILA FERRETO: A oficina do projeto Contantes foi provocadora como as oficinas literárias devem ser. Ela mobilizou as minhas capacidades de imaginar possibilidades, de criar mundos e personagens, de buscar a originalidade. Os encontros desafiam, tiram o sossego, pegam o nosso “eu escritor” pelos ombros e sacodem. Isso é bom. Bento Gonçalves precisava de uma iniciativa como essa, a julgar pelos talentos literários que se revelaram durante as oficinas. Agradeço a todos os responsáveis por essa oportunidade ímpar e, em especial, ao professor Douglas pelos ensinamentos e conselhos valiosos. Eu me sinto honrada por tudo que aprendi nesses seis meses e pelos escritores incríveis que conheci e com os quais pude compartilhar ideias. Quem participou do projeto é privilegiado, sim!

 

CÉSAR ANDERLE: Fui indicado por um amigo a participar deste projeto a alguns dias de seu início. Num primeiro momento, imaginei: bem, é um curso que irei acrescentar em meu currículo. Com o passar das aulas, percebi muito mais que um simples aprendizado, o professor foi extremamente objetivo nas colocações e as interações com os próprios colegas enobreceram o projeto, pois ficou muito claro o intuito de crescimento individual. Percebi que, hoje, tenho conceito definido de como contar uma história, tendo ela começo, meio e fim, conflitos, emoções, paixões. Meus textos anteriormente eram uma espécie de depoimento de minha própria vivência; a partir deste projeto, vivencio nos parágrafos que escrevo um conto de fato, uma história criada no meu imaginário.

 

CRISTINA ROSA: O Contantes vem me proporcionando possibilidades ímpares. Além de vivenciar experiências literárias, aprendizagem e troca de saberes nas letras, tenho oportunidade de me relacionar com pessoas que me acrescentam conhecimento, afeto, apoio e acolhimento. Só me resta aguardar para participar da próxima edição. Espero que a cultura de Bento Gonçalves seja contemplada, novamente, com tamanha competência e dedicação do autor do projeto.

 

DAN POLETTI: Já não sou eu. Quero dizer, não quem dizia ser. Explico. Lembro de, em minha primeira aula, apresentar-me dizendo que o conto não era minha praia. Mudei. Se isso basta, então está dito. Cresci. No mais, acrescento alguns poucos adjetivos que, se não forem cortados, expressam minha vivência na Experiência Contantes: empolgante, digna, impassível, nervosa, semente. Quero mais.

 

EDUARDA BRAUN: Participar do Projeto Contantes foi uma experiência que marcou a minha vida – e para melhor! Os meses que passei junto aos Contantes foram maravilhosos, porque eu descobri que, mesmo sendo jovem, eu conseguia (e consigo) escrever.  A organização do Projeto, os profissionais e os colegas também não poderiam ter sido melhores: em todos os encontros, todas as quartas, nos tornávamos nossa própria família.

 

ENZO PERUZZO DE OLIVEIRA: A experiência na Oficina Contantes foi muito estimulante, principalmente pelo amplo conhecimento do professor e por me dar a oportunidade de interagir com outros escritores.

 

GUILHERME FURLAN: Participar do Projeto Contantes foi uma das coisas mais certas que já fiz. Explico. Para mim, é bom estar perto de pessoas que compartilham o amor pela escrita, pela literatura. Sempre busquei isso. Trabalhar, semana a semana, na teoria e na prática do conto, ver o quanto a gente se aprimora quando os colegas nos mostram suas impressões sobre o que escrevemos, é maravilhoso. A escolha do local, a Livraria Dom Quixote, também foi acertada. Tudo parece estar no lugar: a atmosfera dos livros, as aulas com o professor Douglas, as discussões. O projeto já constrói sua própria história.

 

JAYNE TUBIAS: O projeto Contantes é inspirador e abriu novos horizontes, trouxe novas histórias e experiências. Aprendi muito nesses meses e sou grata por cada encontro. É algo inovador em vários sentidos. Parabéns!

 

SABRINA DALBELO: O Projeto Contantes foi um divisor de águas na minha vida literária. Tenho afeição pela linguagem poética, mas a Oficina me aproximou da narrativa curta ficcional e, com isso, conheci obras e autores de contos importantes, pioneiros, cheios de criatividade e, por isso, tão inspiradores. As aulas teóricas foram muito ricas e o professor Douglas mostrou deter vasto conhecimento e dominar a arte de repassá-lo. O grupo foi sendo construído aula a aula, pelos estranhos que entraram pela porta da livraria Dom Quixote no primeiro encontro, cheios de dúvidas e sonhos. Somos muito diferentes, mas aprendemos a dialogar sobre literatura como iguais. Hoje, formamos um coletivo mais confiante e estamos certos dos caminhos que podemos tomar, cada um, na estrada literária. A partir dos Contantes, passei a ler bem mais e não quero e nem vou parar de escrever.

 

 

PROJETO CONTANTES

OFICINA DE CRIAÇÃO LITERÁRIA - CONTOS

MINISTRANTE: Prof. Dr. Douglas Ceccagno

Contantes foi um projeto financiado pelo Fundo Municipal de Cultura de Bento Gonçalves - Edital 2018. A Oficina de Criação Literária, constante do projeto, foi criada na intenção de preencher uma lacuna observada na cidade de Bento Gonçalves: a formação de escritores. Assim, Contantes buscou qualificar a produção literária do município e proporcionar a publicação de novos autores.

A proposta era reunir pessoas que praticam a escrita literária no município de Bento Gonçalves, com trabalhos publicados ou não, no intuito de aperfeiçoar o desenvolvimento de percepções e habilidades úteis à criação literária.

A Oficina foi gratuita, ministrada de forma presencial, com foco no gênero narrativo e na produção de contos, com carga horária total de 40 horas, divididas em 20 encontros semanais, de março a agosto de 2019, no turno da noite, na Livraria Dom Quixote (R. Treze de Maio, 581 - sala 103 - Centro - Bento Gonçalves - RS).

Para participar, os candidatos deveriam ter, no mínimo, quinze anos de idade, residir em Bento Gonçalves há, pelo menos, um ano, e ter horários disponíveis para os encontros e para a realização de leituras e exercícios semanais.

Para inscrever-se, o candidato deveria apenas preencher uma ficha de inscrição eletrônica com seus dados pessoais e um breve currículo e anexar a um arquivo contendo uma narrativa ficcional de até três páginas.

A seleção dos quinze participantes deu-se pela análise do potencial evidenciado pelas narrativas, avaliadas por uma comissão formada pelos integrantes da equipe principal do projeto Contantes, incluindo o professor ministrante da oficina, com base nos seguintes critérios:

  • tratamento criativo do tema;
  • adequação da linguagem à narrativa.

Com o fim dos encontros, foi publicado o livro Nem tudo foi dito, uma antologia dos melhores contos produzidos na oficina, com capa do ilustrador Humberto Nunes, especialmente desenhada para o Projeto (veja na aba Livros).